PROCURO
Dentistas
> Pesquisar


PROCURO
Farmácia
> Pesquisar


Tudo sobre os problemas mais comuns

A utilização de piercings tem sido verificada ao longo dos tempos, apresentando-se actualmente como um item com uma vertente estética e de afirmação pessoal utilizado maioritariamente por jovens, em variadas regiões corporais, nomeadamente na cavidade oral, sendo as localizações mais observadas a língua, os lábios e a bochecha.

Riscos e complicações

Como complicações decorrentes da utilização de piercings podem ser salientadas:

  • Fractura e/ou desgaste de peças dentárias e danificação de restaurações existentes.
  • Lesões gengivais decorrentes do traumatismo mecânico (as zonas afectadas variam consoante a posição do piercing) e recessões gengivais quando o trauma é continuado.
  • Interferência com o normal funcionamento da cavidade oral, como salivação excessiva, dificuldades na fala, mastigação e deglutição, podendo mesmo originar dermatite de contacto devido a alergias ao metal.

Existem também diversos riscos relacionados com o procedimento da sua colocação, que podem ser divididos em imediatos e tardios. As complicações imediatas incluem dor, edema, hemorragia e reacção inflamatória. As complicações tardias incluem alterações mais graves, como infecções decorrentes do elevado número de bactérias colonizadoras da cavidade oral; hemorragia prolongada principalmente quando o piercing é colocado na língua; transmissão de doenças tais como hepatites e SIDA, e endocardite bacteriana, uma vez que a lesão causada pelo piercing proporciona uma porta de entrada de bactérias na corrente sanguínea.

De modo a evitar algumas das complicação enumeradas, no momento da colocação deverá haver um cuidado muito particular na verificação dos seguintes aspectos:

  • Existência de condições higienossanitárias adequadas.
  • Se o profissional desinfecta as mãos com líquido ou sabonete anti-séptico e usa luvas de protecção adequadas.
  • Se usa instrumentos esterilizados e de utilização única (verificar se as agulhas estão em embalagens esterilizadas e são abertas na altura da utilização).

Fontes:
American Dental Association – Division of Communication, Oral Piercing and Health, 2001, JADA, Vol. 132.
Vieira EP, Ribeiro ALR, Pinheiro JJV, Alves SMA, Oral Piercings – Immediate and Late Complications, J Oral Maxillofac Surg, 2011, 69:3032-3037.
Plessas A, Pepelassi E, Dental and Periodontal complications of lip and tongue piercing: prevalence and influence factors, Australian Dental Journal, 2012, 57:71-78.
Dental Health Services Victoria. Protecting your mouth – all you need to know about mouth and tongue piercing. [online]. Available from: URL: https://www.dhsv.org.au/download/2d16e456/protecting-your-mouth-piercings.pdf