PROCURO
Dentistas
> Pesquisar


PROCURO
Farmácia
> Pesquisar


Tudo sobre os problemas mais comuns
Por vezes, há pessoas que ignoram que têm mau hálito porque as que as rodeiam sentem-se constrangidas ao pensar em levantar a questão e chamar a atenção para o problema. Uma em cada quatro pessoas acredita que tem mau hálito.1 A halitose, definida então como mau hálito, é uma patologia multifactorial com elevada prevalência na população que afecta indivíduos de todas as idades.2 Pode conduzir à diminuição da auto-estima, a alterações do paladar e olfacto e ser, inclusivamente, um factor perturbador das actividades sociais. Na população em geral, esta patologia tem uma prevalência de 6 a 23%3 e estudos prévios demonstraram que mais de 75% dos casos têm uma origem oral.4
O mau hálito é uma condição com uma componente extremamente embaraçante para a pessoa que dela sofre. A maioria das pessoas não sabe que sofre desta situação.1,5
Felizmente, o problema é muitas vezes de fácil resolução. Se está preocupado com o seu mau hálito, deve consultar o seu dentista, porque a halitose pode ser consequência de muitas patologias. O profissional será o único habilitado a identificar essas possíveis causas. Para além disso, doenças da cavidade oral, como a doença periodontal ou a boca seca – possíveis causas de mau hálito – podem também ser facilmente diagnosticadas pelo dentista.5
Se o dentista não identificar a causa, deve consultar o seu médico para despiste de outras possíveis patologias.

Como saber se tenho mau hálito?

Pode utilizar um fio dentário sem sabor e não encerado, e passar o mesmo fio entre os molares superiores e inferiores, ou utilizar um pano seco e esfregar o dorso da língua durante 5 segundos, esperar cerca de meio minuto e cheirar. Outra hipótese é perguntar a um amigo ou membro da família.6,7

O que pode causar mau hálito

  • Alimentação: As bactérias que se acumulam na boca devido à persistência de restos de comida (se não lavar os dentes e usar diariamente o fio dentário) são a principal causa de mau hálito. Alguns alimentos são mais propensos a provocar mau hálito que outros (cebolas ou alho, por exemplo), mas a ausência de refeições frequentes (pessoas com dietas específicas, por exemplo) são também factores para o desenvolvimento da halitose.5,8
  • Doença Periodontal: A acumulação de placa bacteriana pode causar doença periodontal – um dos sinais de alarme no desenvolvimento da doença periodontal pode ser o mau hálito.5
  • Boca Seca: Sem saliva suficiente, as partículas de comida tendem a acumular-se mais frequentemente na boca e, assim, de uma forma geral, pessoas que sofram de boca seca têm maior tendência para desenvolver halitose. Para além disso, a saliva é essencial para neutralizar os ácidos produzidos pela placa bacteriana e eliminar as células mortas que se acumulam na língua, gengivas e bochechas. Quando não são removidas, estas células decompõem-se e provocam mau hálito. A boca seca pode ser causada por alguns medicamentos.5
  • Tabaco: Os fumadores sofrem muitas vezes de halitose, assim como as pessoas que tenham por hábito mascar produtos de tabaco. Para além disso, estes hábitos tabágicos reduzem a capacidade de saborear a comida e irritam as gengivas, manchando os dentes e agravando a halitose em pessoas que já sofrem de mau hálito.5
  • Utilizadores de Próteses Dentárias: As pessoas que utilizam próteses dentárias têm que evitar a acumulação de placa por debaixo das próteses. Estas devem ser adequadamente limpas diariamente e devem ser removidas durante a noite para evitar o crescimento bacteriano. Estes doentes devem ser vistos regularmente pelo seu dentista.5
  • Outras Condições Médicas: Sinusite, bronquite, pneumonia, doenças do fígado (Fetor hepaticus) e rins (hálito urémico), divertículos esofágicos. Existem também causas faríngeas e esofágicas (neoplasias, acalasia), causas respiratórias (infecções bacterianas, congestão nasal, desvio do septo, alergias, tumores), causas gastrointestinais (refluxo esofágico, hérnias, estenose gástrica, ulceração gástrica, carcinomas) e causas derivadas de patologias sistémicas (diabetes, discrasias sanguíneas, medicação (por exemplo, uso crónico de corticosteróides inalatórios), quimioterapia e radioterapia, alcoolismo e trimetilaminuria).5,9

A manutenção de uma boa higiene oral, o tratamento da doença periodontal e a marcação regular de consultas com o dentista para uma higienização, são essenciais para reduzir a halitose.

  • Lave os dentes duas vezes por dia e passe o fio dentário diariamente. Atenção: Não se esqueça de lavar a língua também, pois este descuido é frequentemente uma das causas de mau hálito. Para tal, existem ainda alguns utensílios, como um raspador de língua, para remover a placa bacteriana do dorso da língua.5–7
  • Os elixires antibacterianos podem também ser muito importantes na higiene da boca e na eliminação das bactérias que se formam.5,10
  • Se está a usar prótese dentária, assegure-se de que a retira à noite e que a limpa antes de a colocar novamente de manhã.5

É importante perceber que os elixires de lavagem bucal (sprays e outros) só mascaram o odor temporariamente – são meramente usados por uma questão estética e não têm um efeito permanente. Em certos casos, os elixires com álcool podem perpetuar a situação, tornando a boca cada vez mais seca.5–7

Como é que a comida que ingerimos afecta o nosso hálito?

Basicamente, toda a comida que ingerimos começa a degradar-se na nossa boca. Ao serem digeridos e absorvidos, os componentes dos alimentos passam para a nossa corrente sanguínea, acabando também por ser transportados até ao pulmão (órgão muito irrigado), misturando-se com o ar expelido.5,11

Ao comer alimentos com cheiros intensos, o seu odor só desaparecerá do corpo quando forem totalmente digeridos no organismo – lavar os dentes ou usar um elixir apenas vai mascarar o hálito.5,8

No entanto, quando não se escova os dentes diariamente, certas partículas de comida podem acumular-se na boca e provocar a proliferação de bactérias entre os dentes, nas gengivas e na língua. Tudo isto contribui para o aparecimento da halitose.6,7

Que outros problemas de saúde podem estar associados ao mau hálito?

O mau hálito pode ser prevenido ou, pelo menos, atenuado, através de:

  • Prática regular de uma boa higiene oral: Lavar os dentes pelo menos duas vezes por dia com uma pasta rica em flúor, de forma a remover a placa bacteriana e os restos de comida que se acumulam naturalmente (note que ter uma escova de dentes no trabalho ou na escola pode ser uma solução útil para lavar os dentes depois de todas as refeições). Lave sempre a língua e não se esqueça de mudar de escova de dentes a cada dois a três meses. O uso de fio dentário ou de uma escova interdentária uma vez por dia é fundamental para a remoção das partículas mais difíceis, e as próteses dentárias devem ser removidas à noite, ao deitar, e limpas antes de serem colocadas novamente na boca, pela manhã.1,5
  • Visitas regulares ao seu dentista: Duas visitas por ano, pelo menos. Só ele poderá conduzir um cuidado exame da sua boca e realizar uma higienização dentária profissional. Assim, para além dos cuidados regulares, poderá aperceber-se da existência de doença periodontal, boca seca ou de outros problemas que possam ser a causa do mau hálito.5–7
  • Deixar de fumar: Para além de reduzir em muito o mau hálito, a cessação dos hábitos tabágicos traz uma infinidade de benefícios, não só para a saúde oral, como também para a saúde geral da pessoa. Pergunte ao seu dentista qual é a melhor forma de deixar o hábito.1,5
  • Reduza o consumo de álcool: O álcool pode levar a boca seca. O consumo de cerveja, vinho e licores pode perpetuar o mau hálito por 8 a 10 horas após o consumo.1
  • Beba muita água e masque pastilhas ou outra guloseima sem açúcar (sugar-free), de forma a manter a boca húmida e estimular a produção de saliva, que auxilia a lavagem da boca e a remoção de bactérias.5
  • Pode ainda manter um registo dos alimentos que normalmente ingere. Assim, poderá levar a lista ao seu dentista, para que ele identifique os possíveis alimentos que causam a halitose. Pode ainda fazer o mesmo para os medicamentos que toma, levando a respectiva lista ao seu dentista, para que este os possa analisar. Não deixe de tomar qualquer medicamento receitado pelo seu médico sem consulta prévia do mesmo.5

Quem pode tratar o mau hálito?

Na maioria dos casos, o seu dentista será capaz de tratar a causa do seu mau hálito. Se este determinar que a sua boca é saudável e se a halitose não tiver origem na cavidade oral, é possível que o aconselhe a consultar o seu médico de família, de forma a despistar qualquer outra causa. Se, por exemplo, a causa do mau hálito for doença periodontal, o seu dentista poderá optar por tratar a doença ou recomendar-lhe um periodontologista (especialista em doenças das gengivas) para o seu tratamento.1,5,9,11

O que posso utilizar para eliminar o mau hálito?

Se é verdade que há muitos elixires não sujeitos a receita médica que podem mascarar o odor, tenha sempre presente que todos esses líquidos só mascaram temporariamente o mau hálito. Além de simplesmente mascarar o odor, um elixir anti-séptico irá matar os germes que podem ser as possíveis causas da halitose. Pergunte sempre ao seu dentista qual é a melhor solução para resolver o problema.5–7,10,12

Referências:
1. Rayman S, Almas K. Halitosis among racially diverse populations: an update. International journal of dental hygiene. 2008 Mar;6(1):2-7.
2. Porter SR, Scully C. Oral malodour (halitosis). BMJ (Clinical research ed.). 2006 Oct 23;333(7569):632-5.
3. Cameira Nunes J, Martínez-Sahuquillo A, Cameira MJ, Dias Marques H. Halitose: Estão os dentistas a ser preparados para este desafio? – Um inquérito realizado numa faculdade de Medicina Dentária. Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial. 2011;52(142):6.
4. Wilhelm D, Himmelmann A, Axmann E-M, Wilhelm K-P. Clinical efficacy of a new tooth and tongue gel applied with a tongue cleaner in reducing oral halitosis. Quintessence international (Berlin, Germany: 1985). 2012 Oct;43(8):709-18.
5. Scully C, Greenman J. Halitosis (breath odor). Periodontology 2000. 2008 Jan;48:66-75.
6. Find out what causes bad breath, and how to prevent the embarrassment of halitosis [Internet]. Available from: http://www.webmd.com/oral-health/guide/change-your-breath-from-bad-to-good
7. Bad Breath Causes, Treatments, and Prevention [Internet]. Available from: http://www.webmd.com/oral-health/guide/bad-breath
8. Suarez F, Springfield J, Furne J, Levitt M. Differentiation of mouth versus gut as site of origin of odoriferous breath gases after garlic ingestion. The American journal of physiology. 1999 Mar;276(2 Pt 1):G425-30.
9. Quiding-Järbrink M, Bove M, Dahlén G. Infections of the esophagus and the stomach. Periodontology 2000. 2009 Mar;49(137):166-78.
10. Moran JM. Home-use oral hygiene products: mouthrinses. Periodontology 2000. 2008 Jan;48(51):42-53.
11. Loesche WJ. Microbiology and Treatment of Halitosis. Current infectious disease reports. 2003 Jun;5(3):220-6.
12. Addy M, Moran JM. Evaluation of oral hygiene products: science is true; don’t be misled by the facts. Periodontology 2000. 1997 Oct;15:40-51.