PROCURO
Dentistas
> Pesquisar


PROCURO
Farmácia
> Pesquisar


Dr. Nélio Veiga
Descobri recentemente que no infantário que a minha filha frequenta existe um copo descartável que é partilhado por todos quando querem beber água. Estou preocupado uma vez que não creio ser uma boa práctica tendo em conta a saude oral. Gostaria de expor esta questão à directora do estabelecimento mas munido de argumentos e dados fiáveis.
anónimo, 30 de Agosto de 2016

Na verdade, cada criança deveria ter um copo seu para poderem beber água. Isto será mais uma questão de risco da saúde geral do que da saúde oral propriamente. A partilha do mesmo copo não será o mais adequado, pois é um meio que pode levar à transmissão de outras bactérias e virus. Se uma criança for portador de um virus (gripe, gastroenterite...), mesmo que não esteja doente, pode haver a transmissão desse virus para outras crianças. O mesmo se aplica à escova de dentes. Cada criança deveria ter o seu próprio copo e a sua própria escova de dentes devidamente identificada, por forma a poderem escovar ao fim do almoço.

Neste site diz “Existem muitas ofertas no mercado, mas os especialistas são da opinião de que não deve ser escolhida uma escova de dentes muito rija, pois pode provocar lesões nas gengivas. Escolha uma escova macia, com uma cabeça pequena e que permita alcançar de forma eficaz todas as áreas da boca.” Estive numa formação há 3 anos em que a médica que a deu dizia que escovas macias usam-se só depois de uma operação ou em casos muito específicos. E que normalmente deveríamos usar uma média. Devo acreditar mais neste site que me parece confiável, certo?
Joana Garcia, 29 de Outubro de 2013

Uma boa higiene oral associada a consultas regulares ao dentista contribuem para uma boa saúde oral. No entanto, o trauma repetitivo de escovagem, geralmente associado a escovas duras e a uma má técnica de escovagem, tem o potencial de provocar lesões dos dentes e gengivas. Quanto mais dura for a escova maior é o risco. Uma escova macia, ou média, se utilizada correctamente, permite controlar a placa dentária e manter a saúde dos seus dentes e gengivas. Existe ainda outro tipo de escovas (ultra macias), denominadas escovas pós-cirúrgicas, que são utilizadas após a cirurgia oral. São utilizadas por tempo limitado uma vez que são mais ineficazes a remover a placa dentária.

Aconselhamos discutir o caso com o (a) seu (sua) dentista. Ele (ela), em virtude do seu historial oral e susceptibilidade dos tecidos, indicar-lhe-á a técnica de escovagem e a escova ideal para si. Cumprindo estas pequenas indicações, conseguimos assegurar uma boa higiene oral e, assim, consequentemente, obter uma boa saúde oral.

Eu queria saber mais ou menos o que é a saúde oral.
Margarida, 25 de Outubro de 2013

A definição de saúde oral, preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) consiste “na ausência de lesões dos tecidos moles circundantes aos dentes, ausência de dor orofacial e de cancro oral e faríngeo, malformações congénitas, doença periodontal, cárie dentária e outras patologias que afectam o complexo craniofacial”.

Definimos que uma pessoa tem saúde oral quando esta se encontra num estado de bem-estar físico, mental e social, desprovida de doenças orais (como, por exemplo, cárie dentária, doenças periodontais e outras patologias da cavidade oral).

É sempre importante definirmos as principais regras para termos uma boa saúde oral. Para isso é fundamental:

  • Efectuar uma correcta escovagem ao final de todas as refeições, com a utilização de uma pasta dentífrica;
  • Utilizar diariamente o fio dentário;
  • Consultar o médico dentista duas vezes por ano;
  • Evitar consumir, entre refeições, alimentos açucarados;
  • Evitar hábitos tabágicos e alcoólicos.

Cumprindo estas pequenas indicações, conseguimos assegurar uma boa higiene oral, e assim, consequentemente, obter uma boa saúde oral.

Deixe a sua pergunta
A sua mensagem foi enviada com sucesso.
Ocorreu um erro ao enviar a sua mensagem.












Enviar